Notícias

  • Estudo recente sobre a atividade em Montes Claros - MG.

    Leia mais...  
  • Estudo dos Tremores de Terra em Montes Claros, MG.

    Leia mais...  
  • Terremoto em Suncho Corral, Argentina, é sentido no Brasil

    Leia mais...  
  •  

     

A Sismologia na UnB

Imprimir
Nos anos 60, a UNESCO recomendou que se instalasse na América do Sul um arranjo sismográfico de alta sensibilidade, para monitorar principalmente os terremotos da região andina. Para dar andamento àquele projeto, uniram-se o Instituto de Ciências Geológicas de Edimburgo (Grã-Bretanha) e o Instituto Geofísico do Peru, cujo pessoal técnico decidiu-se pela instalação do arranjo sismográfico em Brasília. Na época, contaram com a colaboração do CNPq, que complementou verbas e facilitou a importação dos equipamentos, do Governo do Distrito Federal, que obteve autorização para a instalação dos instrumentos no interior do Parque Nacional de Brasília, e da Universidade de Brasília, que apoiou o projeto de forma decisiva, criando um núcleo de sismologia (Estação Sismológica) para dirigir o sistema, denominado SAAS (South American Array System).

O SAAS entrou em operação rotineira no ano de 1968. Na década seguinte, outros sistemas mundiais foram integrados à Estação Sismológica, como o WWSSN (Worldwide Standardized Seismograph Network) e o IDA (International Deployment Accelerometer).
Em 1975 iniciaram-se os convênios com empresas energéticas e, com isso, a implantação de estações sismográficas em diferentes regiões do país.

Testes sismológicos realizados por britânicos, no interior do Parque Nacional de Brasília, visando a instalação do arranjo sismográfico (1967)

Nos anos 80, foram instalados novos instrumentos sismográficos em Brasília, ampliou-se o número de estações sismográficas no País, e foi criado também o Observatório Sismológico (SIS) da Universidade de Brasília (UnB).

Na década seguinte, com a construção do Observatório, outros progressos foram observados: implantação do Sistema GTSN (Global Telemetered Seismograph Network), manutenção de vários convênios de prestação de serviços, ampliação das áreas de assessoramento técnico-científico e administração de vários projetos de pesquisas financiados por órgãos externos ou pelo próprio SIS. Hoje o Observatório está consolidado e tornou-se um órgão de referência nacional no campo da sismologia

pelicula1